Ararêtama

Surgido em 1990, o Sistema de Essências Vibracionais Ararêtama reproduz a rica biodiversidade do ecossistema da Mata Atlântica.

Ararêtama é uma palavra tupi-guarani que significa “terra da luz”. Sandra Epstein, terapeuta e pesquisadora que desenvolveu o sistema, escolheu esse nome para identificar seu trabalho porque seu objetivo é ajudar as pessoas a metabolizarem suas vivências de forma positiva, usando as essências como ferramentas para que possam enfrentar desafios e expandir seus potenciais em busca de uma consciência mais clara de si mesmo e de uma interação produtiva com a sociedade.

Nas palavras de Sandra: “Assim como a Mata Atlântica – que hoje possui menos de 5% de sua área original, com tantos animais e plantas ameaçadas de extinção devido às barbaridades do ser humano – as atitudes impensadas do homem consigo mesmo ameaçam extinguir também muitos de seus mais verdadeiros sentimentos, vontades, opiniões e muito mais”.

Sandra reforça ainda outras semelhanças que podem ser observadas na Mata, como os contrastes de luz e sombra, masculino e feminino, força e fragilidade, grande e pequeno, “entre outras tantas polaridades que também encontramos em nós mesmos.”

*As informações acima foram retiradas de catálogos, livros, material de divulgação e website dos próprios pesquisadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by